EFEMadrid

Se Polónia e Hungria mantiverem o bloqueio ao orçamento comunitário e ao fundo de cooperação, irão colocar a UE numa crise "muito pior" que a do euro, do brexit ou da imigração, advertiu esta quinta-feira o secretário de Estado espanhol para a União Europeia, Juan González-Barba, numa ida ao Congresso espanhol.

O Governo polaco e húngaro não concordam que o desembolso do orçamento plurianual (2021-2027) da UE e do fundo de recuperação da covid-19 estejam condicionados ao respeito do estado de direito.

Em caso de bloqueio do fundo de recuperação, com 750.000 milhões de euros para resolver a crise causada pela pandemia, González-Barba advertiu que a UE voltaria a uma crise "muito pior que a do euro, a migratória ou a do brexit".

Segundo o político espanhol, ambos países devem compreender que "não há plano B", pois "o único plano" é que a entrega de fundos comunitários esteja ligada ao respeito do estado de direito.

"Não há negociação possível sobre o texto. São as bases da casa europeia. Não se pode construir esta casa se se questiona a preponderância de valores como a democracia, a independência do poder judicial e o estado de direito", ressaltou.