EFELuxemburgo

O ministro espanhol de Agricultura, Pesca e Alimentação, Luis Planas, pediu esta segunda-feira à União Europeia (UE) que esteja atenta à situação do mercado do açúcar, afetado pela queda dos preços, para evitar as perdas na produção e no emprego.

"Está claro que nos encontramos frente a um momento em que houve uma produção na UE que desceu os preços de forma muito significativa. Apesar de que solicitámos o armazenamento privado, tal não foi possível porque não há maioria no Conselho nem a Comissão está de acordo", disse Planas à sua chegada a um Conselho de ministros europeus de Agricultura.

Por isso, indicou, os Vinte e oito devem "seguir de perto tudo o que se refere ao setor açucareiro" para evitar perdas de produção e de emprego.

O ministro afirmou que "graças à pressão, entre outros, de Espanha" foi possível a criação de um grupo de alto nível "cuja terceira reunião vai acontecer em junho para tentar tirar conclusões operativas".

Os preços médios do açúcar branco estavam no começo do ano à volta dos 300 euros por tonelada, os níveis mais baixos desde 2006.

A CE tem-se mantido até ao momento reticente a autorizar o armazenamento privado.

Após a liberalização do mercado com o desaparecimento do sistema de quotas de produção de açúcar, a 1 de outubro de 2017, os produtores açucareiros da UE assumiram a plena liberdade de produção e comercialização.

Este fato, unido à conjuntura económica mundial do setor do açúcar, provocou uma descida dos preços.