EFESan Francisco (EUA)

Alegando motivos de segurança nacional, o governo dos Estados Unidos proibiu esta sexta-feira que as empresas americanas vendam tecnologia a quatro companhias e a um centro de investigação com sede na China, repetindo assim os passos dados relativamente à Huawei em maio.

A ordem foi emitida pelo Departamento de Comércio esta sexta-feira. Cinco organizações chinesas ligadas ao desenvolvimento de supercomputadores foram incluídas na lista de entidades "que atuam de forma contrária à segurança nacional e aos interesses em matéria de política externa dos EUA".

As novas adições à lista são a Sugon, principal fabricante chinesa de supercomputadores (computadores de alto rendimento), e três das suas subsidiárias dedicadas ao fabrico de chips: Higon, Chengdu Haiguang Integrated Circuit e Chengdu Haiguang Microelectronics Technology. Também foi vetado o Instituto de Tecnologia Computacional Wuxi Jiangnan.