EFEBruxelas

As expectativas de empresas e consumidores sobre a economia pioraram tanto na União Europeia (UE) como na Zona Euro em novembro, com uma caída de 1,1 pontos no indicador de sentimento económico em ambos casos, enquanto as de emprego melhoraram, chegando até máximos de 2018.

Especificamente, o indicador de sentimento económico ficou em 116,5 pontos no conjunto dos vinte e sete e em 117,5 nos países do euro, níveis que continuam a ser "altos", informou hoje a Comissão Europeia (CE), que elabora este indicador.

As expectativas de emprego, por sua vez, melhoraram em 1,4 pontos na UE e em 1,7 na Zona Euro, com o qual o indicador ficou em ambos casos nos 115,6 pontos, o valor mais alto desde janeiro de 2018.

A pioria do sentimento económico na UE esteve motivada por uma descida da confiança dos consumidores (-2,1 pontos), que estão a ver de maneira mais pessimista a situação económica geral, a sua situação financeira e as expectativas de compras.

Entre as empresas, a confiança melhorou no setor do comércio a retalho (mais 1,6 pontos) e no da construção (0,5), enquanto esta manteve-se relativamente estável no setor serviços (mais 0,2 pontos) e sem mudanças na indústria.

A confiança no setor de serviços financeiros melhorou em 0,9 pontos, mas este dado não é levado em conta para elaborar o indicador de sentimento económico.

Entre as grandes economias da UE, o sentimento económico caiu sobretudo em Espanha (2,6 pontos), Países Baixos (2,1) e Alemanha (1,7), mas melhorou em França (3 pontos), Itália (0,9) e Polónia (0,5).

Por outra parte, o indicador sobre expectativas de emprego subiu graças sobretudo à melhoria dos planos de emprego no setor serviços, no comércio a retalho e à construção, enquanto na indústria as expectativas mantiveram-se estáveis.

(Mais informação sobre a União Europeia em euroefe.euractiv.es)