EFEBruxelas

A produção industrial aumentou 12,4% na Zona Euro e 11,4% no conjunto da União Europeia (UE) no passado mês de maio a respeito de abril, uma vez que os Estados membros começaram a aliviar as medidas de confinamento ligadas à COVID-19, segundo dados publicados esta terça-feira pelo Eurostat.

Em abril, a produção industrial caiu 18,2% tanto na UE no seu conjunto como na Zona Euro, acrescentou o gabinete de estatísticas da UE.

Contudo, no cálculo homólogo entre maio de 2020 e maio de 2019, a produção na indústria regista uma descida de 20,5% em toda a União Europeia e 20,9% nos países que partilham a moeda única.

Entre maio e abril de 2020, a produção na Zona Euro aumentou 54,2% no segmento dos bens de consumo não perecíveis, 25,4% em bens de investimento, 10% em bens intermédios, 2,8% em bens de consumo perecíveis e 2,3% em energia.

No mesmo período de referência, a produção avançou na mesma linha em toda a UE, com aumentos nos bens de consumo perecíveis (47,7%), bens de investimento (24,8%), bens intermédios (8,7%), energia (2,5%) e bens perecíveis (1,8%).

Os maiores aumentos em maio face a abril foram registados em Itália (42,1%), França (20%) e Eslováquia (19,6%), enquanto as quedas mais acentuadas foram registadas na Irlanda (9,8%), Croácia (3,5%) e Finlândia (1,3%), detalhou o Eurostat.

Em relação aos dados na Zona Euro a respeito de maio de 2019, a produção industrial caiu 28,4% em bens de investimento, 24% em bens de consumo não perecíveis, 19,7% em bens intermédios, 14,4% em bens de consumo perecíveis e 10,3% em energia.

No mesmo cálculo para a UE como um todo, a queda foi de 23,2% para bens de investimento, 18,5% para bens intermédios, 13,4% para bens de consumo perecíveis e 10,6% para energia.

As quedas mais acentuadas foram registadas na Eslováquia (33,5%), Hungria (27,6%) e Roménia (27,4%).

(Mais informação sobre a União Europeia em euroefe.euractiv.es)