EFEMadrid

Os grandes bancos europeus vão ter dificuldades para melhorar as suas receitas em 2020, devido às perspectivas de um débil crescimento do PIB na zona e às baixas taxas de juro.

Segundo um relatório publicado nesta terça-feira pela agência de qualificação Fitch depois de analisar as contas do terceiro trimestre deste ano, recentemente apresentadas por estas entidades, as tendências também são negativas quanto à rentabilidade.

A maioria dos grandes bancos europeus, acrescenta o relatório, só serão capazes de reforçar a sua rentabilidade operativa mediante a reorientação do seu modelo de negócio nos segmentos mais rentáveis nos que têm vantagens competitivas.

Os bancos europeus também irão ter de "administrar" o excesso de liquidez de que dispõem pela entrada de depósitos em longo prazo, somados às emissões de dívida em forma de instrumentos com capacidade de absorver perdas e à nova ronda de financiamento barato do Banco Central Europeu (BCE).

Quanto à possibilidade de que a banca acabe por cobrar pelos depósitos aos clientes varejistas, igual que algumas entidades fazem já com os clientes corporativos e institucionais, Fitch recorda que tem "restrições legais", além do risco de perder clientes que implicaria.