EFEParis

O ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, advertiu nesta quinta-feira de que a União Europeia não vai autorizar a Libra, a criptomoeda que quer lançar o Facebook, porque questiona a soberania monetária dos estados e entranha vários riscos, incluído um sistémico, dada a enorme dimensão dessa rede social.

"Essa privatização eventual de uma moeda coloca riscos de abuso de posição dominante, coloca riscos de soberania, coloca riscos para os consumidores e para as empresas, e coloca um risco sistémico", porque Facebook conta com 2.000 milhões de usuários no mundo, afirmou Le Maire em Paris.

O ministro francês, que participava na primeira sessão de um fórum sobre a tecnologia de blocos (blockchain) da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE), disse que se se materializasse o projeto da Libra, a soberania monetária dos estados ficaria em interdição.

Segundo a sua opinião, dada a potência do Facebook, essa criptomoeda substituiria moedas fracas de países soberanos, o que "questionaria a independência dos estados".

Além disso, a Libra poderia escapar às obrigações que impõem as autoridades monetárias estatais para lutar contra o branqueamento de dinheiro ou o financiamento do terrorismo.

"Falo com muita clareza, nessas condições não podemos autorizar o funcionamento da Libra no território europeu", ressaltou.