EFEParis

França criou um grupo de trabalho internacional sobre as criptomoedas coordenado por Benoît Coeuré, membro do comité executivo do Banco Central Europeu (BCE), e que deve apresentar as suas primeiras conclusões no G7 de ministros das Finanças em julho.

Depois da Facebook ter anunciado no início de semana o seu projeto de criar uma criptomoeda, batizada de Libra, o governador do Banco de França, François Villeroy de Galhau, afirmou esta sexta-feira que o objetivo é estudar como compaginar a possibilidade de inovação que esses instrumentos oferecem, com "firmeza na regulação".

Villeroy de Galhau, que participou numa conferência da autoridade francesa de luta contra o branqueamento (ACPR), referia-se a uma iniciativa do ministro francês de Economia e Finanças, Bruno Le Maire, que terça-feira tinha recebido com muitas reservas os planos da Facebook.

"Essa moeda vai permitir a esta companhia, como no futuro a outros gigantes da economia digital, acumular de novo milhões de dados e colocar-se numa situação de monopólio", alertou Le Maire aos deputados franceses.

Para o ministro francês, "uma empresa privada não pode nem deve criar uma moeda que entraria em concorrência com as moedas dos Estados".

O seu departamento divulgou a carta na qual Le Maire encarrega a Coeuré a implementação deste grupo de trabalho, composto de membros de alto nível dos bancos centrais do G7 e do Fundo Monetário Internacional (FMI), assim como de representantes da própria Presidência desta instância dos 7 países mais ricos.