EFEWashington

O Governo dos EUA planeia anunciar esta terça-feira uma ação judicial contra a Google por um monopólio nos mercados de anúncio e busca na internet, o que pode levar a uma guerra legal e ao maior caso anti-monopólio das últimas décadas, adiantaram vários meios de comunicação locais.

O processo vai argumentar que a Google mantém o seu papel como "o principal guardião de acesso" à internet através de "uma rede ilegal de acordos exclusivos para restringir os seus concorrentes", segundo o The Wall Street Journal, que cita fontes do Departamento de Justiça.

Especificamente, vai acusar a Google, uma subsidiária da Alphabet, de utilizar milhares de milhões de dólares recolhidos de anúncios na sua plataforma para pagar empresas telefónicas e outros motores de busca para que a mantenham como o seu motor de busca básico.

A gigante tecnológica, com sede em Mountain View, Califórnia, controla cerca de 80% das pesquisas na internet nos Estados Unidos.

Os gigantes tecnológicos têm vindo a enfrentar nos últimos anos críticas de diferentes Governos e organismos, como a União Europeia (UE), devido à grande quantidade de poder que acumulam, aos lucros exorbitantes que fazem e aos baixos impostos que pagam.

Com a transformação da Google num dos gigantes da tecnologia, a empresa tem sido acompanhada de perto pelas autoridades dos EUA, e a Comissão Federal de Comércio do país, que também tem autoridade para investigar casos de monopólio, já conduziu investigações à Google, embora as tenha terminado em 2013 devido à ausência de provas suficientes.