EFEAtenas

O Governo grego anunciou esta segunda-feira que solicitou oficialmente a devolução ao Fundo Monetário Internacional (FMI), de forma antecipada, 2.900 milhões de euros, aproximadamente um terço do dinheiro pendente dos empréstimos que essa entidade lhe concedeu em plena crise em 2010.

O ministro das Finanças, Jristos Staikuras, explicou em comunicado que com essa devolução vai-se fortalecer a credibilidade do país e a dívida tornar-se-á mais sustentável, e confiou em que essa medida ajude a melhorar a classificação creditícia da Grécia.

O FMI concedeu esse empréstimo, com vencimento final até 2024, com um juro médio de 4,91%, superior ao dos créditos recebidos pelo Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) e o seu antecessor do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), de 1,14%.

Com a devolução antecipada, a Grécia espera poupar 70 milhões anuais em juros durante os próximos anos.

Para devolver o dinheiro antecipadamente, o Governo grego precisa que o MEE e o FEEF não exerçam o seu direito a exigir o pagamento antecipado de uma proporção similar dos empréstimos ao país, que somam à volta de 240.000 milhões de euros.