EFEBerlim

A greve de dois dias de pessoal de cabine, que tem início esta quinta-feira, obrigou a companhia aérea alemã Lufthansa a cancelar 1.300 voos, o que vai afetar 180.000 passageiros.

A Audiência Laboral de Frankfurt recusou um recurso de urgência da linha aérea que agora, segundo um porta-voz do consórcio, irá recorrer a uma instância superior.

Foram cancelados 700 voos dos 3.000 que estavam programados para quinta e 600 na sexta.

Uma clara maioria do sindicato do pessoal de cabine, UFO, votou a favor da greve no final da semana passada.

A direção do sindicato foi afastada depois de uma disputa interna, pelo que a Lufthansa considera que a representação atual dos trabalhadores não está apta para convocar uma greve nem para negociar com a empresa.

A UFO reivindica um aumento do recebido por trabalho extra e mais facilidades para que empregados temporários, em períodos de estação alta, entrem no modelo da empresa.