EFEBruxelas

A taxa de inflação homóloga na Zona Euro aumentou oito décimas em novembro, até 4,9%, empurrada por um aumento dos preços da energia de 27,4%, segundo a primeira estimativa difundida esta terça-feira pela agência de estatística comunitária Eurostat.

Assim, entre os elementos do índice de preços de consumo, a energia registou a taxa de inflação mais alta em novembro, 3,7 pontos acima de 23,7% conseguido em outubro, enquanto nos serviços aumentou de 2,1% a 2,7%.

Os preços dos bens industriais não energéticos encareceram-se 2,4% face ao 2% de outubro, e os de alimentos, álcool e tabaco aumentaram 2,2% em comparação com o 1,9% anterior.

A taxa de inflação subjacente, que exclui o efeito dos preços da energia e os alimentos frescos por serem os mais voláteis, aumentou também cinco décimas, até 2,6% em novembro.

Entre os países do euro, a Lituânia registou a maior taxa de inflação (9,3%), seguida da Estónia (8,4%), Letónia (7,4%) e Bélgica (7,1%). As menores foram em Malta (2,3%) e Portugal (2,7%).