EFERoma

A Autoridade Anti-monopólio italiana anunciou hoje a abertura de um expediente à companhia aérea Ryanair por práticas comerciais desleais e publicidade enganosa em relação a cancelamentos, utilizando a desculpa da emergência de coronavírus para confundir os viajantes.

O caso, aberto graças a uma queixa da Associação para os Direitos dos Utilizadores e Consumidores (ADUC), investiga "uma prática comercial incorreta na fase de prestação de serviços e gestão de cancelamentos, bem como publicidade enganosa sobre as características de um serviço a que a companhia aérea chamou "mudança de voo sem penalizações".

"Toda a conduta denunciada e tomada em consideração pela Autoridade está ligada a uma interpretação 'estranha' pela Ryanair das regras e leis com a desculpa da emergência do coronavírus", indicou o organismo em comunicado.