EFERoma

A entidade de Aviação Civil italiana (ENAC) informou à companhia aérea Ryanair e às autoridades irlandesas de que terá que suspender os seus voos no país caso não cumpra com as normas de saúde anti COVID-19.

"A Ryanair incumpre sistematicamente com as disposições previstas em Itália para limitar o risco por coronavírus nos aviões que saem e chegam aos aeroportos nacionais", assinalou a ENAC em comunicado.

A ENAC acrescentou que, se a Ryanair continuar a violar as normas e tiver uma conduta incorreta e irrespeitosa com as medidas sanitárias vigentes em Itália, poderá ser apenas autorizada a operar com o avião a 50% da capacidade.

Além disso, advertiu que "se for novamente determinado o incumprimento adicional das normas nacionais, a ENAC ver-se-á obrigada a aplicas as disposições do Código de Navegação e impor a suspensão de qualquer atividade de transporte aéreo nos aeroportos nacionais, solicitando à transportadora que proporcione, ao mesmo tempo, a proteção de todos os passageiros que já possuam um bilhete".

A entidade recordou que as medidas de segurança em Itália preveem, entre outras, a obrigação do uso de máscara no avião.

Itália permite atualmente que os aviões possam operar a 100% da sua capacidade caso se cumpram as normas quanto às máscaras e aos sistemas de ventilação.