EFENova Iorque

A farmacêutica americana Pfizer anunciou esta terça-feira um lucro líquido de 4.877 milhões de dólares no primeiro trimestre, mais 45% em relação ao mesmo período do ano passado, em grande parte graças às vendas da sua vacina contra a covid-19.

A Pfizer ganhou 0,86 dólares por ação entre janeiro e março, um aumento em comparação com os 0,60 dólares há um ano atrás, depois da subida do seu volume de negócios de 45% em termos anuais, até 14.582 milhões de dólares.

Cerca de 3,500 milhões de dólares em vendas correspondem à sua vacina anti-covid BNT162b2, que já se tornou na principal fonte de receitas da empresa, segundo avançou a própria em comunicado.

A Pfizer anunciou que durante todo o ano espera ganhar cerca de 26.000 milhões de dólares graças à vacina e com base nos contratos assinados até agora, através dos quais irá fornecer pelo menos 1.600 milhões de doses a diferentes países.

A empresa farmacêutica esperava obter cerca de 15.000 milhões de dólares, pelo que reviu as suas previsões para cima, pelo que agora espera que o seu volume de negócios anual fique entre 70.500 milhões e 72.500 milhões de dólares, muito superior às suas estimativas iniciais, de cerca de 60.000 milhões.

As receitas obtidas pela Pfizer são apenas uma fração das geradas pela vacina contra o coronavírus, uma vez que a empresa americana partilha-as com a sua parceira alemã BioNTech, que desenvolveu o produto.

A empresa espera agora que a vacina seja aprovada nos Estados Unidos para utilização em crianças entre os 12 e 15 anos de idade, uma autorização que poderá chegar na próxima semana, de acordo com várias fontes.

O CEO da empresa, Albert Bourla, salientou na nota os sólidos resultados trimestrais e que o volume de negócios cresceu mesmo sem ter em conta o sucesso da vacina.