EFEParis

O presidente francês Emmanuel Macron está a preparar neste domingo a reforma das pensões que o seu primeiro-ministro, Édouard Philippe, vai apresentar em detalhe na quarta-feira sob a pressão de uma greve massiva nos comboios e no transporte metropolitano que irá ser prolongada.

O secretário-geral da Confederação Geral do Trabalho (CGT) e líder da oposição à reforma, Philippe Martinez, afirma numa entrevista publicada pelo "Le Journal du Dimanche" que eles vão continuar com o protesto "até a retirada" da reforma, e que não irá ser suficiente com cessões como as já descartadas por Martinez na sexta-feira.

O primeiro-ministro, que então disse que o período de transição para um sistema de pensões baseado em pontos poderia ser mais longo do que o inicialmente planeado, adverte que ele está determinado a levar a reforma "até o fim".

Porque "se uma reforma profunda, séria e progressista não for feita agora, amanhã virá outra que será brutal, verdadeiramente brutal".