EFETóquio

O Conselho de Administração da Nissan Motor anunciou esta terça-feira que nomeou Makoto Uchida, até então vice-presidente sénior do grupo, como novo diretor executivo da empresa.

O cargo foi abandonado por Hiroto Saikawa no dia 16 de setembro, devido a uma série de operações financeiras que a direção considerou inadequadas, embora não ilegais, meses depois do escândalo envolvendo Carlos Ghosn, que chegou a ser preso sob a acusação de fraude financeira.

Em comunicado, a Nissan Motor anunciou que o Conselho de Administração fez outras nomeações na direção do grupo, entre elas a de Ashwani Gupta como novo chefe de operações.

A nota contém declarações do presidente do Conselho de Administração da Nissan, Yasushi Kimura, que considera Uchida o "líder adequado" para impulsionar as operações do grupo, que sofreu uma grande queda nas vendas em mercados importantes, como o dos Estados Unidos.

"Esperamos que Uchida lidere a companhia como uma equipa, se concentre imediatamente na recuperação do negócio e revitalize a empresa", diz Kimura. As nomeações serão efetivadas até o dia 1 de janeiro de 2020.

O novo CEO, de 53 anos, chegou à Nissan Motor em 2003 e ocupava as funções de vice-presidente sénior da companhia desde 2018. Makoto Uchida estava à frente das operações do grupo na China.

Hiroto Saikawa já tinha anunciado a intenção de deixar o comando da Nissan Motor após a turbulência ligada à detenção de Carlos Ghosn, em 19 de novembro de 2018.

No entanto, a saída de Saikawa acelerou-se ao ser divulgado no início de setembro que ele tinha beneficiado financeiramente por inflar indevidamente um bónus salarial com ações da empresa, manipulando os termos e a data de pagamento.

Embora o Conselho de Administração da Nissan Motor tenha considerado que essas ações não tenham sido ilegais, o órgão decidiu que eram graves o suficiente para pedir a Saikawa, a 9 de setembro, que deixasse o cargo a 16 de setembro.