EFEBerlim

O nobel da Economia Joseph Stiglitz defendeu esta sexta-feira proibir as criptomoedas com a argumentação de que facilitam a "lavagem de dinheiro" a grande escala.

"Fechem-nas", disse o economista americano em declarações ao semanário alemão "Der Spiegel" em relação às moedas digitais como o bitcoin, e assinalou que a proibição podia ser introduzida no ponto da cadeia no qual as criptomoedas se alteram para dinheiro normal.

Stiglitz indicou que as instituições trabalham há anos para tornar os mercados financeiros mais transparentes, e o facto das criptomoedas serem digitais não torna esta exigência menos essencial.

"Neste momento há dois grandes buracos que temos que fechar, as criptomoedas e os imóveis", afirmou o nobel da Economia em referência à luta contra o branqueamento nos Estados Unidos, país que continua a ser um centro da "lavagem de dinheiro".

O prémio Nobel atribuiu parcialmente a responsabilidade dos problemas no âmbito imobiliário ao ex-presidente Donald Trump, dizendo que este "era conhecido como branqueador e enriqueceu dessa forma".