EFEFrankfurt (Alemanha)

O número de notas de euro falsas que foram retiradas de circulação no segundo semestre de 2019 foi de 308.000, mais 22,7% a respeito do primeiro trimestre e 17,6% face ao segundo semestre de 2018.

O BCE informou esta sexta-feira de que mais de 70% dessas notas eram de 20 e 50 euros.

A entidade monetária assegura que as notas de euro continuam a ser um meio de pagamento fiável e seguro e que a sua autenticidade pode ser comprovada com o método "toque, olhe e gire".

A probabilidade de receber uma nota falsa é remota, já que o seu número continua a ser muito baixo em comparação com o das notas autênticas em circulação, que é mais de 24.000 milhões, com um valor total perto de 1,3 biliões de euros.

O número de notas faltas detetadas anualmente por cada milhão de notas autênticas em circulação é muito baixo, algo mais de 20 notas, como em 2002.

Em 2009 registou-se um ligeiro aumento no número de notas falsas por cada milhão de notas autênticas, até quase 65 notas.

A maioria das notas falsas (96,4%) foi encontrada em países da Zona Euro, e as restantes em Estados membros da União Europeia (UE) não pertencentes à área do euro (3%) ou em outros lugares do mundo (0,6%).