EFEParis

A OCDE reiterou esta terça-feira as suas previsões de uma pioria do ritmo de crescimento económico em Espanha, Alemanha ou Estados Unidos (EUA), tendo como base os seus indicadores compostos avançados publicados mensalmente.

O indicador, que antecipa com entre seis e nove meses de antecipação inflexões no ciclo económico, caiu 22 centésimos para Espanha, a 98,51 pontos, 6 para a Alemanha, a 98,65 pontos e outros 6 para os Estados Unidos, a 98,76 pontos.

Nos três casos, o nível está significativamente abaixo dos 100 pontos, que marcam a média de longo prazo.

A descida mensal foi de 6 centésimos para o conjunto da Zona Euro, a 99 pontos.

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) assinalou em comunicado que mantém a sua avaliação de um crescimento estável para França (o seu indicador manteve-se sem mudanças em 99,37 pontos) e para o Canadá (-6 centésimos, a 98,90).

Também prevê essa estabilidade para o Japão (-3 centésimos, a 99,28 pontos) e para Itália (-5, a 99,08 pontos).

O caso do Reino Unido é um pouco particular. A OCDE explicou que considera que o seu crescimento económico vai debilitar-se ainda mais, mas ressaltou que permanecem "grandes margens de erro devido à persistente incerteza à volta do 'brexit'".