EFEViena

Os catorze países membros da OPEP reúnem-se esta quinta-feira em Viena para fixar o nível da sua oferta conjunta de petróleo na primeira metade de 2020, antes de abordar o mesmo tema na sexta-feira com a Rússia, México e outros oito produtores independentes aliados.

A abertura da 177ª conferência ministerial da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP), a segunda do ano, está convocada para as 15.00 hora local (14.00 gmt).

Antes, na sede da organização vai-se criar um comité interno encarregado de vigiar o cumprimento dos acordos atingidos pela chamada "OPEP+" (OPEP e aliados), aliança forjada em 2016 para recuperar o preço do barril do descalabro que tinha sofrido por uma oferta excessiva.

O grupo de 24 países conseguiu parcialmente esse objetivo através da limitação das suas extrações e ceder participação de mercado frente a outros produtores, como Estados Unidos, Brasil, Canadá ou Noruega, que têm aumentado a sua produção.

O último corte da OPEP, pactuado há um ano e vigente até 30 de março de 2020, representou a retirada do mercado de 1,2 milhões de barris diários (mbd) de petróleo, cerca de 1,2% do total da oferta mundial desta matéria prima.

Alguns membros, como o Iraque, consideram que essa redução demonstrou ser "insuficiente" porque o consumo energético do planeta tem sido menor do que o esperado inicialmente.

Por outro lado, prevê-se um grande aumento da oferta rival, sobretudo do petróleo de xisto nos EUA.