EFEBruxelas

O plenário do Parlamento Europeu (PE) aprovou esta terça-feira medidas de apoio a trabalhadores autónomos e por de outrém que possam ficar no desemprego em consequência de um "brexit" sem acordo.

Além disso, o PE deu sinal verde a um plano que vai permitir ao Reino Unido continuar a receber fundos da UE durante 2020 para iniciativas como o Erasmus ou as ajudas para a investigação e a agricultura caso o "brexit" aconteça sem pacto.

As medidas de apoio aos trabalhadores que possam perder o seu trabalho pela saída britânica estabelecem mudanças ao Fundo europeu de adaptação à globalização para poder dedicá-lo a estas pessoas.

O Fundo de adaptação à globalização financia políticas ativas de emprego, como capacitação de trabalhadores, orientação, formação, ajudas para a mudança ou para o empreendedorismo.

Até agora, os Estados membros podiam solicitar os fundos em caso de perda de empregos devidos à globalização ou como resultado da crise económica e financeira global, precisou o PE em comunicado.

No entanto, com a mudança estipulada hoje no PE, este instrumento poderá utilizar-se para assistir a trabalhadores por conta de outrém ou autónomos que sejam despedidos ou obrigados a cessar a sua atividade como consequência de um "brexit" sem acordo.