EFERio de Janeiro

A companhia petrolífera estatal Petrobras, a maior empresa do Brasil, questionou esta segunda-feira o Governo de Jair Bolsonaro sobre se era ou não verdade que estavam a ser realizados estudos para a privatizar.

A questão da Petrobras surgiu depois de se saber que o ministério da Economia tencionava apresentar um projeto de lei para vender as ações do Estado na empresa e assim perder o controlo que detém atualmente como acionista maioritário.

Perante esta situação, a companhia petrolífera informou que perguntou ao Estado -o seu acionista controlador- "sobre a existência ou não de tais estudos".

A notícia, que foi revelada pela CNN, foi acompanhada por declarações feitas pelo presidente brasileiro durante uma entrevista na rádio, na qual assegurou que a questão da privatização da Petrobras "estava no radar", embora tenha reconhecido que se tratava de uma operação complicada.

A questão ganhou ímpeto desde quinta-feira passada, quando o líder da extrema-direita disse estar "ansioso" por privatizar a Petrobras, o que surge quando Bolsonaro é alvo de críticas pela subida acentuada dos preços dos combustíveis, especialmente da gasolina, que aumentou 40% nos últimos 12 meses.

A declaração do presidente coincide com a do ministro da Economia, Paulo Guedes, que afirmou na semana passada que a venda de parte da participação do Estado na companhia petrolífera podia financiar programas sociais para famílias em condições vulneráveis.