EFEXangai (China)

O produto interno bruto (PIB) da China cresceu 8,1% em 2021, segundo dados oficiais publicados esta segunda-feira.

Pequim tinha marcado como objetivo que a economia nacional crescesse "mais de 6%" ao longo do recém terminado ano, uma meta mais conservadora do que o esperado pelos analistas, especialmente tendo em conta o valor reduzido da base comparativa do ano passado (+2,3%).

Os números divulgados hoje pelo Gabinete Nacional de Estatística mostram também que o PIB cresceu 4% em termos homólogos no quarto trimestre de 2021, número maior que o esperado pelos analistas, por volta de 3,6%.

Isto também representa um aumento de 1,6% em comparação com o quarto trimestre anterior, o que mais uma vez excede as previsões dos peritos (+1,1%).

Nos primeiros três trimestres, o crescimento anual tinha sido de 18,3%, 7,9% e 4,9%, respetivamente.

No final de dezembro, a riqueza total da China chegou aos 114.37 biliões de iuanes (15,77 biliões de euros) em termos nominais.

O gabinete de estatística chinês afirmou que, em 2021, a economia do país "continuou a recuperar de forma sustentada" e que os principais indicadores "atingiram os objetivos esperados".

Enquanto a instituição ressalta que a China se encontra numa "posição de liderança global" em termos de desenvolvimento económico e controlo da pandemia, também reconhece um ambiente externo "mais complexo, severo e incerto" e a ameaça de "pressões" sobre a economia interna devido a fatores como a diminuição da procura e problemas de oferta.