EFEVarsóvia

O Escritório de Defesa do Consumidor da Polónia (UOKiK) anunciou na quarta-feira uma multa de 30 milhões de euros para o fabricante alemão de automóveis Volkswagen por mentir sobre a taxa de emissões dos seus veículos.

"A informação falsa expressa nos materiais publicitários representou um engano para os consumidores, já que a empresa mostrou uma atitude pró-ecológica quando, na realidade, os carros não eram tão respeitosos do ambiente como se fazia crer", disse o presidente do UOKiK, Marek Niechcial, em comunicado.

A multa é a maior jamais imposta por este organismo e representa o último capítulo do escândalo das emissões que já custou à Volkswagen quase 30.000 milhões de euros em multas, reparos de veículos e custos legais.

Em setembro de 2015 veio à luz que a Volkswagen tinha instalado ilegalmente um software para alterar os resultados dos controlos técnicos de emissões poluentes em 11 milhões de automóveis com motor diesel vendidos entre 2009 e 2015.

As denúncias de fraude surgiram nos Estados Unidos, onde o fabricante europeu admitiu que quase 600.000 carros vendidos naquele país tinham o software concebido para manipular os resultados dos testes de emissões.

A empresa alemã ainda não decidiu sobre a multa imposta pelo UOKiK polaco.