EFELisboa

O Tesouro de Portugal colocou hoje 1.023 milhões de euros em dívida a 10 e 26 anos com taxas de juros em mínimos históricos, apesar da procura ter sido mais moderada que em leilões anteriores.

Segundo os dados divulgados pela Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), adjudicaram-se 753 milhões de euros em títulos a dez anos com um rendimento de 0,51%, abaixo do 0,639% registado no último leilão, que já representava um mínimo histórico.

Em apenas dois meses, o juro ao qual o Tesouro português consegue colocar a sua dívida a 10 anos, que se utiliza como referência para medir a confiança despertada por um país, reduziu-se a metade (foi de 1,059% em maio).

No leilão foram também adjudicados outros 270 milhões de euros a 26 anos com uma taxa de juros do 1,426%, também mínimo histórico.

A procura superou a oferta nas duas emissões, em 1,58 vezes no caso dos títulos a 10 anos e em 1,69 vezes na dívida a 26 anos, mais moderadas que nos leilões anteriores.

Por isso, o Tesouro decidiu adjudicar apenas 1.023 milhões de euros, abaixo do limite máximo previsto para o leilão, na qual esperava colocar entre 1.000 e 1.250 milhões de euros.