EFELisboa

Os preços em Portugal subiram em média 1,4% em 2017, mais oito décimas que no ano anterior, segundo os dados do Índice de Preços no Consumidor (IPC) português.

O relatório, divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), explica que esta subida se deveu principalmente ao crescimento da inflação subjacente -a que exclui os preços da energia e os alimentos não processados- e a energia, com aumentos de 1,1% e 3,5%, respetivamente.

Os produtos alimentares também se encareceram mais e a sua taxa de variação foi de 1,8%, duas décimas superior à estabelecida em 2016.

Em linhas gerais, o preço dos serviços aumentou mais do dobro, 2,1%, em comparação ao dos bens materiais (0,9%).

O INE destacou que a variação do IPC teve um "movimento claramente ascendente" até abril, seguindo assim a tendência de finais de 2016, e depois registaram-se taxas "abaixo da média" até novembro, quando o dado voltou a subir.

Por sua parte, o preço do aluguer de uma casa em Portugal subiu de média 1% no ano passado, sendo a Madeira (2,6%) a região com mais aumento e o Algarve (-0,4%) a que mais desceu.

O índice de preços de consumo harmonizado (IPCA) português, utilizado na Zona Euro para comparar os países membros, foi de 1,6% em 2017, uma décima acima da média.