EFELondres

O Governo britânico confirmou hoje que investiu 108 milhões de libras (120 milhões de euros) adicionais em contratos com companhias de ferris para aumentar as conexões com a Europa continental em caso de um "brexit" duro.

O ministério de Transporte assinou contratos com a empresa francesa Brittany Ferryboats, a dinamarquesa DFDS e a britânica Seaborne a fim de aliviar a potencial pressão sobre o porto inglês de Dover se há uma saída não negociada da União Europeia (UE) o próximo 29 de março.

O ministério considera que, em caso de um "brexit" sem acordo, se necessitará mais capacidade para compensar as possíveis retenções de "bens e produtos críticos" causados pelos controles fronteiriços adicionais.

As empresas, contratadas sem concurso público, oferecerão o equivalente a um 10% mais de trânsito no estreito de Dover (ou passagem de Calais), e se utilizarão os portos ingleses de Poole, Portsmouth, Plymouth, Immingham e Felixstowe.

Transporte justificou a ausência de licitação pública pelo facto de que se trata de "uma situação de extrema urgência" provocada por "eventos imprevisíveis".

"Esta capacidade extra é um elemento pequeno mas importante do planeamento do ministério de Transporte para um 'brexit' sem acordo", afirmou um porta-voz desta pasta.

A fonte disse que, embora o Governo quer sair da UE com pacto, o ministério "está ajudando a garantir que o resto do Executivo esteja preparado para todas as possibilidades".