EFEParis

A empresa automobilística Renault prepara-se para encerrar várias das suas fábricas em França, embora a companhia não tencione, em princípio, proceder com despedimentos, segundo avança esta quarta-feira a imprensa francesa.

Segundo o diário Les Échos e o semanário Le Canard Enchaîné, as fábricas de Choisy-le-Roy, nos arredores de Paris, e de Fonderie de Bretagne, na Bretanha, "deverão ser encerradas", enquanto a fábrica Dieppe, que produz a marca Alpine, poderá também ser encerrada "num horizonte bastante próximo".

Fontes da empresa disseram à EFE que tal se trata apenas de "especulação" e que a empresa não decidiu nada, embora, "como já foi dito", existam planos de poupança a partir de 2020 que estão a ser discutidos no seio da empresa e da Aliança com a Nissan.

No passado fevereiro, antes da crise do coronavírus atingir fortemente a indústria, a Renault anunciou um corte de 2.000 milhões de euros, sem descartar o encerramento de fábricas, devido aos maus resultados de 2019.

Um porta-voz do Ministério de Economia e Finanças respondeu com um "sem comentários" à questão de se o encerramento de fábricas seria compatível com o empréstimo garantido que irá obter do Estado para fazer face à crise da COVID-19.

Segundo a emissora France Info, o plano concreto da empresa francesa será anunciado na próxima semana e poderá também afetar a sede da Flins, nos arredores de Paris, que deixaria de se ocupar da linha de montagem do automóvel elétrico ZOE e da Nissan Micra para retomar outras atividades.