EFEMoscovo

Perto de metade dos importadores estrangeiros de gás russo já abriram contas no Gazprombank para efetuar o pagamento através da forma exigida pelo Kremlin, que prevê a conversão das moedas estrangeiras a rublos, disse hoje o vice-primeiro-ministro russo, Alexandr Novak.

"Cerca de 54 companhias têm contratos com a Gazprom Export, entre grandes, médias e pequenas. Segundo os meus dados, perto de metade destas já abriram contas especiais em moedas estrangeiras e rublos no nosso banco autorizado", afirmou Novak durante um discurso no fórum juvenil russo "Novos Horizontes".

Segundo o vice-primeiro-ministro, o objetivo desta medida é "assegurar o influxo de moeda estrangeira, a sua conversão em rublos e o pagamento em rublos do gás fornecido".

"É uma medida obrigatória, procura garantir a segurança dos nossos lucros de exportação. Como se sabe, as ações atuais das autoridades europeias, dos EUA, colocam os nossos lucros de exportação em risco", explicou.

Depois do início da campanha militar russa na Ucrânia, o Ocidente impôs sanções e congelou parte da reserva federal russa, após o qual o presidente Vladimir Putin ordenou estabelecer o pagamento obrigatório do gás em rublos aos países "hostis", medida rejeitada pelos clientes europeus.

Países como a Polónia e Bulgária recusaram pagar o gás em rublos, pelo que a Rússia suspendeu as entregas de gás a ambos países.

Segundo a agência oficial russa TASS, mais de 20 empresas já abriram contas no Gazprombank, em concordância com as exigências do Kremlin, entre as quais estão a companhia energética italiana Eni, o consórcio alemão Uniper e a francesa Engie.