EFEBruxelas

O Tribunal Geral da União Europeia deu esta quarta-feira razão ao Luxemburgo e anulou a decisão da Comissão Europeia de ordenar o país à recuperação de 250 milhões de euros que, segundo Bruxelas, a Amazon devia ter pago em impostos.

O tribunal com sede no Luxemburgo disso que não existe uma vantagem seletiva a favor da filial luxemburguesa do grupo Amazon e anulou a decisão da Comissão através da qual declarou a ajuda incompatível com o mercado interno.

O Tribunal considera que a Comissão não demonstrou de maneira suficiente que houvesse uma redução indevida da carga fiscal de uma filial europeia do grupo Amazon.