EFERoma

O turismo italiano perdeu 110.000 empregos temporários em junho como resultado da crise do coronavírus, 58,4% em termos homólogos, informou hoje a associação italiana de hoteleiros Federalberghi.

A associação explicou que a situação de pandemia e o receio de contágio levou a cancelamentos em massa e a uma redução das dormidas de 80,6% em comparação com o mesmo mês em 2019, 93,2% no caso de turistas estrangeiros e 67,2% no mercado interno.

Para os meses de verão, cerca de 140.000 empregos temporários estão em risco se o turismo, que representa 13% do produto interno bruto (PIB) de Itália, não for totalmente reativado.

A associação de hoteleiros lamenta que 83,4% das estruturas do país acreditem que o seu volume de negócios será reduzido para metade este ano em comparação com 2019.

Para impulsionar o setor do turismo, o Governo liderado por Giuseppe Conte aprovou um pacote de ajudas de até 4.000 milhões de euros, que inclui subvenções de 500 euros a famílias com rendimentos até 40.000 euros por ano para gastar até ao final do ano nos hotéis do país.