EFEBruxelas

O conjunto da União Europeia avançou a bom ritmo desde 2010 para cumprir os seus objetivos em 2020 em matéria de luta contra a mudança climática, fomento das energias renováveis e criação de emprego, mas não tanto em investigação e desenvolvimento (I+D) e em redução da pobreza.

É a principal conclusão do indicador sobre os objetivos da UE a longo prazo publicados esta segunda-feira pelo Eurostat, elaborado com base no mandato dado pelos líderes comunitários em 2010 para conseguir um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo na União Europeia.

O escritório de estatística comunitária agrupa os objetivos e progressos da UE em cinco áreas temáticas num "gráfico radar".

Este demonstra que a União tem uma tarefa simples para alcançar no próximo ano as suas metas, tendo em conta a taxa de êxito no ensino superior e emissões de gases do efeito de estufa, e também ficam perto os objetivos de redução do abandono académico precoce e a proporção de energias renováveis no consumo final bruto de energia.

"A Europa fez progressos substanciais em áreas de mudança climática e energia e está no caminho correto em termos dos objetivos da estratégia da Europa 2020 nas áreas de emissões de gases do efeito de estufa, energias renováveis e eficiência energética", afirma o Eurostat, que também avalia positivamente os progressos em matéria laboral e ensino.

No entanto, os "investimentos em I+D e na luta contra o risco de pobreza e exclusão social permanecem longe dos objetivos estabelecidos", acrescenta o Eurostat.