EFERoma

O grupo automobilístico italo-americano Fiat Chrysler (FCA) e o francês PSA vão obter em breve a aprovação por parte da União Europeia para a sua fusão, com a qual irão criar o quarto maior fabricante de automóveis do mundo, confirmaram esta segunda-feira à EFE fontes próximas da operação.

O grupo FCA declinou fazer comentários.

Ambos grupos anunciaram em outubro do ano passado a sua vontade de uma fusão para constituir o quarto maior fabricante mundial de automóveis em termos de volume, com vendas estimadas de 8,7 milhões de unidades (9,5% do total global), que se vai chamar Stellantis.

A operação terá um valor de aproximadamente 38.000 milhões de dólares (cerca de 32.159 milhões de euros).

O futuro Conselho de Administração da Stellantis foi nomeado no passado dia 29 de setembro. O presidente será John Elkann, o vice-presidente será Robert Peugeot e Carlos Tavares será o diretor-executivo.

O conselho vai estar formado por outros oito membros.

A crise do coronavírus penalizou fortemente a indústria automóvel, levando os dois grupos a anunciar a 14 de setembro que modificaram alguns dos termos do acordo inicial, tais como os 2.900 milhões de euros de dividendos que a FCA irá distribuir aos seus acionistas antes do encerramento da operação, uma quantia menor face aos 5.500 milhões de euros anteriormente estabelecidos.

A participação de 46% que o grupo francês tem no fornecedor automobilístico Faurecia será distribuída a todos os acionistas da Stellantis imediatamente depois do fecho.

A FCA e a PSA vão também estudar uma distribuição potencial de 500 milhões de euros a todos os acionistas antes do fecho ou, em alternativa, o pagamento de 1.000 milhões de euros após a conclusão da operação.