EFELondres

As vendas da sua vacina contra a covid-19 aumentaram o lucro líquido da AstraZeneca no primeiro semestre do ano para 2.112 milhões de dólares (1.782 milhões de euros), mais 42% do que no mesmo período de 2020, segundo informou a empresa esta quinta-feira à Bolsa de Londres.

No seu relatório ao mercado, a companhia especifica que o volume de negócios ascendeu a 15.540 milhões de dólares, um aumento de 23% face ao ano precedente.

Excluindo o efeito da vacina, a faturação da companhia liderada por Pascal Soriot foi de 14.371 milhões de dólares nos primeiros seis meses de 2021, um aumento de 14% em comparação com o primeiro semestre de 2020.

A empresa, que registou um aumento nas suas vendas de medicamentos em geral e oncologia em particular, disse que os projetos que tem em desenvolvimento juntamente com a recente aquisição da biofarmacêutica britânica Alexion Pharmaceuticals apoiam a sua transição para o "crescimento sustentável a longo prazo".

O diretor-executivo, Pascal Soriot, disse que a companhia viveu "outro período de forte crescimento" devido ao bom desempenho "em todas as regiões" e frente a todos os tipos de doenças, em particular oncológicas e respiratórias.

A aquisição da empresa de investigação de doenças raras Alexion permitirá à AstraZeneca expandir a sua pasta de produtos, afirmou Soriot, que enumerou como objetivos futuros "acelerar a descoberta científica, investir no crescimento sustentável e proporcionar mais benefícios aos pacientes".