EFEBruxelas

As vendas de automóveis de passageiros na União Europeia (UE) caíram 8,4% em agosto, até 1.041.856 de unidades, após ter crescido 1,4% em julho, informou esta quarta-feira a Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA).

Isto deveu-se sobretudo à maior base de comparação com o ano anterior, já que em agosto de 2018 registou-se um aumento excepcional das vendas de 31,2% antes da entrada em vigor a 1 de setembro desse ano do novo teste de emissões.

As vendas registaram baixas nos principais mercados europeus, as mais fortes em Espanha (30,8%) -que liderou a queda de vendas na UE- e em França (14,1%).

Atrás de Espanha, as principais descidas foram observadas em Portugal (19%), Roménia (18,8%) e Finlândia (16,8%), enquanto as inscrições avançaram sobretudo na Grécia (24,3%), Hungria (20,8%) e Suécia (19,5%).

Por fabricantes, as vendas diminuíram para quase todos, em particular as da Nissan (47,3%), o grupo FCA (26,6%) e a Renault (23,6%), enquanto aumentaram no caso da Daimler (23,2%), Volvo (9,2%) e Ford (2,3%).

Nos nove primeiros meses do ano, as vendas de veículos de passageiros na UE reduziram-se 3,2% em comparação com o mesmo período de 2018, até a 10,5 milhões de inscrições no total, acrescentou a ACEA em comunicado.

A Alemanha registou um ligeiro aumento neste ano (0,9%), enquanto o resto dos grandes mercados europeus viram cair as vendas.

Entre todos os países da UE, as principais descidas foram registadas na Suécia (15,9%), Finlândia (12,8%) e Holanda (10,9%), enquanto os maiores incrementos de vendas deram-se na Lituânia (39,4%), Roménia (13,7%) e Hungria (10,1%).

Por marcas, entre janeiro e agosto de 2019, caíram sobretudo as vendas da Nissan (27,3%), Honda (14,1%) e o grupo FCA (12,1%), enquanto cresceram as da Mitsubishi (8,3%), Volvo (4,4%) e Daimler (3,9%).