EFEParis

O ritmo de matriculações de veículos elétricos no mundo acelerou notavelmente no ano passado com 6,6 milhões de unidades vendidas, o que significa o dobro que em 2020, quando já se tinha notificado um crescimento de 41%.

A Agência Internacional da Energia (AIE) destaca esta segunda-feira no seu relatório anual sobre veículos elétricos que, apesar dos problemas na cadeia de abastecimento, a tendência de matriculações mantém-se forte este ano, com dois milhões de vendas no primeiro trimestre.

No final de 2021 havia aproximadamente 16,5 milhões de veículos elétricos ao nível global, número que triplicou desde 2018.

A China voltou a ser no ano passado o principal mercado deste tipo de veículos, com 3,3 milhões de vendas, ou seja, praticamente três vezes mais que em 2020.

A Europa é relegada à segunda posição, apesar de um aumento de 65%, até 2,3 milhões de unidades. Estados Unidos duplicou os seus valores, até 630.000.

Uma das razões da expansão do veículo elétrico na China é os custos, já que o diferencial de preços face às viaturas convencionais com motor de combustão interna caiu 10%.