EFEPlasencia (Cáceres)

Os 29 exemplares de lince ibérico que foram evacuados em agosto deste ano desde o Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico de Silves (Portugal) até aos centros de criação de Zarza de Granadilla (Cáceres), El Acebuche (Huelva) e La Olivilla (Jaén) iniciaram o seu regresso às instalações portuguesas.

Segundo informou o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) de Portugal em comunicado, os quatro primeiros linces regressaram esta terça-feira ao centro de Silves.

A instituição também assinalou que na próxima semana voltarão os restantes animais que foram acolhidos nos três centros de criação espanhóis.

Além disso, o ICNF apontou que as obras de reabilitação das instalações do centro de Silves encontram-se em fase de finalização.

Em agosto deste ano, um incêndio florestal no Algarve afetou o Centro Nacional de Reprodução de Lince Ibérico de Silves, que teve que ser evacuado.

No centro havia 29 linces, cuja evacuação se fez seguindo o protocolo marcado pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) de Portugal, organismo público do qual depende o centro, um dos quatro de criação da espécie que há na Península e que fazem parte do Programa de Conservação Ex-situ do Lince Ibérico.

O Organização Autónomo Parques Nacionais (OAPN), que gere dois dos quatro centros de criação da espécie que há na península -El Acebuche, no Parque Nacional de Doñana, e o de Zarza de Granadilla- mostrou desde o início o seu apoio e a sua disposição a receber os linces evacuados.

Oito foram para o El Acebuche, nove a Granadilla e doze a La Olivilla (Jaén), este último gerido pela Junta da Andaluzia.