EFEAlmendralejo (Badajoz)

A associação Manos Unidas em Almendralejo vai arrecadar fundos para construir pequenas casas em aldeias remotas do Burkina Faso para alojar os professores que viajam até lá para alfabetizar a população.

A coordenadora em Almendralejo da Manos Unidas, Eulalia Pabón, disse à Efe que o projeto escolhido este ano procura facilitar a chegada e estadia destes professores, que têm como função ensinar a ler uma população na qual o índice de analfabetismo chega a 96%.

Estas pessoas, além disso, procuram proteger as mulheres numa cultura na qual elas se encarregam de trazer a água às aldeias, fazer a comida, cuidar dos seus filhos e trabalhar para levar o sustento às famílias, segundo apontou Pabón.

"Há 43 povos nessa área do Burkina Faso e o projeto procura é construir umas pequenas casas nas aldeias mais afastadas", precisou.

Trata-se de pequenas casas, com cozinha exterior e latrina, de cerca de 40 metros quadrados, para que estes professores "possam passar quatro ou seis dias nas localidades mais remotas".