EFEBadajoz

O Banco Alimentar de Badajoz repartiu durante o primeiro semestre do ano cerca de um milhão de quilos de produtos, dos quais se beneficiaram cerca de 14.000 pessoas na província.

O presidente do Banco Alimentar, Jesús Reynolds, explicou à Efe que o momento económico atual não deve fazer esquecer à sociedade que para muitas pessoas "a crise ainda não acabou", e daí a importância das contribuições de empresas e entidades ou das operações "quilo".

Quanto ao número de beneficiados, Reynolds afirmou que na atualidade são algo menos de 14.000, número menor ao do ano passado mas algo estancado durante os últimos meses, o que faz prever que irá ser "complicado" continuar com descensos elevados nos próximos tempos.

Na sua opinião, esta situação deve-se à elevada presença de beneficiados maiores de 50 anos, que têm muitas dificuldades para encontrar um emprego.

Além disso, lembrou que muitas pessoas conseguem um trabalho à custa de um salário muito baixo ou trabalhos temporários, o que não os permite sair do risco "de exclusão social".