EFEMérida

As reservas das barragens estremenhas do Guadiana e do Tejo se encontram ao 40,4 e 46,9% da sua capacidade respectivamente, o que supõe um 15 e um 25% menos da água do que há um ano.

Segundo os últimos dados facilitados por ambas confederações hidrográficas, as barragens estremenhas do Guadiana armazenam 3.259 hectómetros cúbicos dos 8.064,91 que é a sua capacidade total, enquanto os do Tejo têm 2.968 hectómetros cúbicos dos seus 6.325.

Neste mesmo período de 2018, as reservas dos pântanos estremenhos do Tejo ascendiam a 4.494 hectómetros cúbicos, o 71% da sua capacidade, e os do Guadiana de 4.445,8 hectómetros, o 55,1%.

O pântano estremenho maior da bacia do Tejo, o de Alcántara, passou num ano de armazenar 2.851,1 hectómetros cúbicos a 1.715,18, o que lhe deixa ao 54,% da sua capacidade, e o de Valdecañas, de 451,4 hectómetros a 380, o 26,2%.