EFECáceres

A exposição "Instantes decisivos de la fotografía" ("Instantes decisivos da fotografia") vai permitir percorrer em Cáceres os feitos desta arte desde 1902 pelas mãos do fotojornalista Robert Capa ou o pictorialismo de Alfred Stieglitz, entre outros autores destacados que souberam captar imagens icónicas e resumir momentos chave de diversas épocas.

A exposição, que se inaugura esta quinta-feira, poderá visitar-se até ao próximo 15 de janeiro na sede da Fundação Mercedes Calle, na casa palácio dos Becerra.

Concretamente, propõe um percurso pela história da fotografia até os nossos dias, através do olhar artístico de 47 grandes mestres e 77 obras.

Obras de Henri Cartier-Bresson, Robert Doisneau, Eliott Erwitt, Vivían Maier, Alberto Korda, André Kertész, Horst, William Klein, Catalá Roca e Nicolas Muller, entre outros, ilustram este passeio que remonta à vanguarda do século XX, informou a organização em comunicado.

Também inclui obras de nove galardoados com o Prémio Nacional de Fotografia: Cristina García Rodero, Alberto García-Alix, Chema Madoz (principal surrealista de Espanha), Carlos Pérez Siquier, Ramón Masats, José Manuel Ballester, Rafael Sanz Lobato, Juan Manuel Castro Prieto e Leopoldo Pomés.

Uma experiência imersiva na dimensão gráfica das grandes figuras do século XX, que é o resultado da paixão do colecionador Julián Castilla, há duas décadas a recolher um conjunto de 80 fotografias, que agora se articulam como resumo perfeito de um dos séculos mais frutíferos e revolucionários no âmbito artístico.

Nesse percurso recheado de imagens icónicas, destaque para a fotografia de Pablo Picasso e a sua parceira tirada por Robert Capa (1948) e o dadaísta "Violino de Ingres" de Man Ray (1924), assim como temas urbanos a cargo de Stieglitz ou Gomis.

A moda também faz parte deste passeio pelas fotos mais populares.

Concretamente, a dos anos 30 aos 60, representada pela fotografia de Terry O'Neill, que imortalizou looks inspiradores de estrelas de Hollywood como Audrey Hepburn.

A mostra também propõe descobrir obras que foram testemunho de situações históricas, através de trabalhos de Carlos Saura e Alberto Korda.