EFEAlmendralejo (Badajoz)

Sessenta especialistas de Cuba, Chile, Portugal e várias comunidades autónomas espanholas participaram em Almendralejo (Badajoz) no I Encontro Ibero-americano de Leitura Fácil, que se inscreve dentro dos projetos de cooperação internacional.

O encontro, financiado pela Agência Extremenha de Cooperação para o Desenvolvimento (Aexcid), foi inaugurado pela conselheira de Cultura, Nuria Flores, e tem como objetivo a partilha de experiências entre os participantes, assim como boas práticas para as desenvolver posteriormente nos seus lugares de origem.

O diretor-geral da Aexcid, Ángel Calle, explicou que este encontro inscreve-se dentro do projeto de "Acessibilidade ao património bibliográfico e científico da nação cubana através do emprego das novas tecnologias para o desenvolvimento de iniciativas de impacto social", que se iniciou no ano 2016.

Através de várias conferências pretende-se abundar na leitura fácil como método para tornar mais acessível a informação e a cultura, que se encontra dentro dos objetivos marcados dentro do Plano de Fomento da Leitura, asseverou a conselheira.

Flores lembrou a importância de garantir essa acessibilidade cultural numa sociedade na qual ainda há cerca de 30% de pessoas que têm dificuldades em compreensão de leitura, seja por imigração, por incorporação tardia à linguagem ou por algum tipo de deficiência.