EFELisboa

A Extremadura mostra hoje na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), a feira mais importante do setor em Portugal, o seu turismo de rotas fluviais e a comarca da Sibéria, aspectos com os quais esperam atrair mais visitantes que já conhecem outros âmbitos da sua oferta, como a gastronomia ou a arquitetura.

A aposta mostra-se ao público desde hoje e até domingo no pavilhão internacional da Feira Internacional de Lisboa (FIL), onde a Extremadura conta com expositor próprio, tal como as regiões espanholas da Andaluzia e da Catalunha.

É uma prova da relevância que a Extremadura tem para o turista português, diz à Efe o diretor-geral de Turismo da região, Francisco Martín.

Martín vem à capital portuguesa com um "duplo objetivo", apresentar a região espanhola "como um destino fresco, seguro", mas também "como um destino amável, não massificado".

À habitual oferta de rico património da Extremadura, "com seis destinos Unesco", natureza e gastronomia, juntam-se este ano duas propostas concretas: o turismo fluvial e a promoção da Sibéria extremenha, candidata a Reserva da Biosfera da Unesco.

"Vamos apresentar o turismo fluvial pelo Tejo internacional", expõe Martín, uma possibilidade "muito importante" que contempla rotas desde Castelo Branco "até toda a zona de Valencia de Alcántara", na província de Cáceres.

O projeto apresenta-se após o "salto qualitativo" que, defende, se tem dado nos últimos anos neste segmento e que foi especialmente visível em 2018.

"Mais de 35.000 pessoas estiveram em embarcações no ano passado na Extremadura, sobretudo na parte do Tejo internacional", destaca, o que faz com que o turismo fluvial seja "muito importante".

A ideia é que em breve entrem em operação navios maiores, "um para mais de 100 pessoas, com restaurante e tudo, e outro um pouco menor" que percorram várias rotas.

Embora resista a dar previsões por "prudência", Martín mostra-se otimista sobre um impacto a curto prazo.

"Com a entrada dos novos navios maiores no Alqueva estou esperançoso de que os dados sejam significativos", comenta.

Dentro desta oferta incluem-se outros tipos de atividades aquáticas, com grande potencial, pois a região conta com "65 zonas de banho, rios ou gargantas".

A isso soma-se a promoção na feira de Lisboa da Sibéria extremenha, que o diretor de turismo da região espera ver transformada em pouco tempo no sétimo destino Unesco.