EFEMérida

A Secretaria de Igualdade publicou uma declaração institucional na qual renova o seu compromisso com as vítimas de tráfico e exploração sexual de mulheres e crianças por ocasião da realização, esta segunda-feira, do Dia Internacional da Luta contra este crime.

No texto, o Governo regional lembra que segundo dados do último relatório do Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Crime, 94% das vítimas de tráfico humano e exploração sexual são mulheres e jovens raparigas.

Além disso, adverte que a pobreza, as migrações, os conflitos armados e as alterações climáticas, além das milhares de pessoas deslocadas que fogem em consequência destes desastres, estão entre as causas "de uma realidade aterrorizadora e cruel na qual milhares de mulheres e meninas são exploradas sexualmente".

Trata-se, acrescenta a declaração institucional, de um problema de dimensão transnacional mas também nacional, regional e local "no qual é preciso pôr os direitos humanos e a justiça no centro dos nossos esforços".

A igualdade de género, afirma a Secretaria, é um princípio fundamental da Agenda 2030 das Nações Unidas, e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável lembram aos governos e à sociedade civil que na sua consecução é necessária a erradicação de qualquer tipo de discriminação e violência contra as mulheres e raparigas, incluindo o tráfico e a exploração sexual.

Por isso, neste 23 de setembro, reitera o compromisso da Junta da Extremadura com as vítimas, "reforçando o apoio direto às mesmas e trabalhando na prevenção".

"Mais educação, empregos mais decentes e uma atenção especial ao fenómeno da migração com perspetiva de género devem estar presentes na agenda política", acrescenta a declaração.

Por último, citando Nadia Murad -Prémio Nobel da Paz 2018- na cimeira de Doha, afirma: "Ouvimos palavras de apoio. É tempo de feitos".