EFECuacos de Yuste (Cáceres)

Felipe VI afirmou esta quinta-feira que é necessária uma Europa "mais unida, mais forte e mais determinada", ao mesmo tempo que seja "mais efetiva" na consecução das ambições e expectativas dos cidadãos.

No Dia da Europa, o rei de Espanha presidiu novamente a cerimónia de entrega do Prémio Carlos V, que na sua XIII edição recaiu nos Itinerários Culturais do Conselho da Europa, uma rede de 38 caminhos que abrangem 61 países de quatro continentes.

O ato aconteceu no Mosteiro de Yuste (Cáceres) com a presença do secretário-geral do Conselho da Europa, Thorbjorn Jagland, que recolheu das mãos do rei o prémio concedido pela Fundação Academia Europeia e Ibero-americana de Yuste desde 1995.

A entrega do prémio coincide este ano com o começo da campanha das eleições ao Parlamento Europeu de 26 de maio, que estão marcadas pela crise do "brexit" e o auge dos extremismos.

Neste contexto, Felipe enfatizou que Espanha está empenhada "em conseguir uma verdadeira Europa de e para os cidadãos para que continue a ser farol e luz de cultura e espaço de liberdade, igualdade e paz".