EFEBadajoz

Cerca de 5.700 pessoas assistiram aos diferentes espetáculos do Festival Flamenco e Fado, que se realizou em Badajoz de 1 a 6 de julho com a participação de jovens figuras e artistas consagrados.

Entre os primeiros destacaram-se Fuensanta Blanco, Andrés Malpica, Celia Romero e Gaspar Varela, e entre os segundos José Mercé, Tomatito e Dulce Pontes, lembrou esta segunda-feira a organização do certame num comunicado de balanço.

A programação começou com a projeção do documentário "Camarón, flamenco y revolución", um percurso pela vida do cantador, dando passagem, no dia 2, à estreia do espetáculo de baile flamenco "Con acento extremeño", idealizado pela dançarina de flamenco Fuensanta Blanco e que contou com a presença de Andrés Malpica.

A 3 de julho foi a vez do grupo português Fado Violado, e um dia depois contou-se com o artista luso Marco Rodrigues, que precedeu à estreia do espetáculo de Celia Romero e Andrés Barrios "Músicas de cruce".

Uma grande afluência de público acolheu Dulce Pontes na passada sexta-feira no seu concerto junto à Orquestra da Extremadura, com o qual a cantora portuguesa celebrou 30 anos na música.

Quase 2.000 pessoas presenciaram este concerto, que contou com o presente final de uma canção improvisada junto ao guitarrista Daniel Casares.

O concerto do sábado do jovem guitarrista português Gaspar Varela voltou a encher o Auditório Ricardo Carapeto, com 2.000 espectadores, evento que na sua segunda parte contou com José Mercé e Tomatito.

Embora o festival tenha terminado, ainda se pode visitar no Colégio de Advogados de Badajoz a exposição "Fado, património da Humanidade", organizada pelo Museu do Fado de Lisboa, que estará disponível até ao próximo 26 de julho.