EFEMérida

O III Encontro de Criadoras Cênicas organizado pelo Festival Internacional de Teatro Clássico de Mérida e a associação Clássica e Moderna, realizado entre hoje e amanhã no Museu Romano desta localidade, reúne profissionais das artes cénicas, cultura e universidades para analisar o papel da mulher no setor a partir do estudo de textos clássicos.

Figuras como a escritora extremenha Pilar Galán ou as atrizes Rosa Meras, Karina Garantivá, Mariana Carballal e Mónica Maffía, são algumas das vozes femininas que participam estes dias nos fóruns programados por este encontro sob a lema "O efeito Telémaco e as romanas rebeldes".

O objetivo desta proposta é investigar o passado para encontrar resposta a problemas do futuro e fornecer linhas de atuação para melhorar a situação da mulher no âmbito da cultura, sublinhou esta terça-feira o diretor do festival, Jesús Cimarro, durante a apresentação do encontro.

Nesta terceira edição têm protagonismo algumas mulheres que já na antiga Roma se sublevaram contra a ordem masculina imposta, como a mítica Carmenta, inventora do alfabeto latino, ou a rebelde Hortênsia, que irrompeu no fórum rodeado de iguais ao grito de "se nos excluem da vida pública, não peçam que paguemos impostos", segundo a sinopse do encontro.