EFEMérida

A Junta da Extremadura tornou-se pela primeira vez em Espanha na primeira entidade em custódia de território, com 54.076 hectares em 2017, uma estratégia para envolver proprietários e utentes de terras na conservação da natureza, agrupados com entidades da sociedade civil.

Segundo dados do V Inventário da Fundação Biodiversidade do Ministério para a Transição Ecológica, na região há 182 acordos de custódia (53 em 2015), 119 dos quais têm a Junta da Extremadura como entidade.

Em Espanha há 148 entidades de custódia e 2.403 acordos, segundo informou a Junta da Extremadura em comunicado.

Por outra parte, a Extremadura converteu-se na primeira região espanhola quanto ao número de superfície dedicado a custódia do território com 94.361 hectares, 25% do total.

É a primeira vez que a Extremadura ocupa esta posição, já que no último inventário de 2015 dispunha de uma superfície de 19.825 hectares.

Estes dados foram informados pelo coordenador de Ação Local da Junta da Extremadura, Santos Jorna, nas jornadas sobre diversificação de cultivos extensivos e aplicação de novas tecnologias para melhorar a sustentabilidade económica e ambiental do setor agrícola extremenho, organizado pelo Centro de Investigações Científicas e Tecnológicas da Extremadura (CICYTEX).

A custódia do território define-se na Lei 42/2007 de Património Natural e da Biodiversidade como "o conjunto de estratégias ou técnicas jurídicas através das quais se envolve os proprietários e utentes do território na conservação e uso dos valores e dos recursos naturais, culturais e paisagísticos".