EFEBadajoz

O olhar de duas dezenas de retratos a preto e branco, a maioria de músicos contemporâneos, poderá ser contemplado a partir desta sexta-feira no Museu Etnográfico Extremenho "González Santana" de Olivença (Badajoz) graças ao artista francês e extremenho de adoção Oliver Sáenz.

Sáenz fá-lo através da exposição "Feedback", na qual fica patente o fascínio que o autor sente pelos olhares, "esse reflexo da alma e do coração, essa janela para a comunicação e o feedback", além da sua paixão pela música, informa o museu oliventino em comunicado.

Realizados tanto a lápis como a carvão, separadamente ou mistos, num estilo realista com aspirações ao hiperrealismo, cada retrato é moldado "pelo caráter perfeccionista do artista", que "não poupa no uso de todas as horas necessárias para culminar cada obra".

Sobre a base, sempre presente ao longo de todo o processo de criação, de uma "atenta observação" das fotografias originais das quais o autor parte, um primeiro passo do processo consiste em conseguir que seja fidedigno à fonte original, "esquadrinhando entre as sombras, às vezes adivinhando o que escondem".

O seguinte passo consiste em "potencializar ao máximo possível tanto a expressividade como o olhar, tentando dar-lhe vida de maneira que a imagem passe a ser quase tridimensional".

Para isso, o artista contextualiza o retratado, através do conhecimento sobre a sua vida, as suas ideias ou o seu caráter, ao objeto que o seu olhar seja o reflexo "do que inclusivamente possa pensar nesse momento".

A exposição pode ser visitada até ao próximo 6 de janeiro.